Pra encerrar nosso trajeto, após uma noite em Calama, optamos por seguir pra casa em 3 dias de estrada, sem muitos passeios paralelos no caminho. Essa decisão foi tomada porque a grana já estava curta, e praticamente todo o trajeto de volta já era conhecido (passamos por lá 2 anos antes).

Maaas... isso não impediu de passássemos por paisagens espetaculares, que é sempre bom rever. Foi o caso dos vales no entorno de São Pedro de Atacama (pela cidade passamos rapidinho, parando só para abastecer).

Na subida em direção ao Paso de Jama, o caminho é todo feito ao lado do Vulcão Licancabur. Logo depois de passar por ele, saindo menos de 1km da Ruta 27 por uma estrada (ou seria trilha?) no deserto, encontra-se a fronteira Chile / Bolívia. A ideia era visitar as belas Lagunas Verde e Blanca, no pé do vulcão, do lado boliviano. Acontece que pra isso é preciso fazer os trâmites de fronteira nesse belo posto de migração e aduana, controlado por oficiais bolivianos, que digamos...não tenham a ética e a honestidade como norte em suas vidas. Já tínhamos passado pelo local e sabíamos da sistemática dessa fronteira...mas dessa vez exageraram: quiseram nos extorquir com algo em torno de R$ 100,00 por pessoa pra entrar no país (pra ficar uma hora por lá). Demos meia volta e seguimos pro Paso de Jama...

Bolívia e sua espetacular estrutura - fronteira com o Chile

Bolívia e sua espetacular estrutura - fronteira com o Chile

Seguindo esse caminho, no Altiplano, fomos contemplados com algumas paisagens malucas que só o Atacama é capaz de proporcionar: campos de blocos de gelo (isso mesmo: gelo no deserto) pontiagudos, soltos sobre a areia a menos de 10m da estrada. Segue a estrada e começam as Lagunas Altiplanicas, hora verde esmeralda, hora mais escuras...

Conforme o tempo em altitude elevada vai passando, os sintomas incomodam um pouco mais, e só amenizam lá pela Cuesta de Lipán, no lado argentino, onde começa a descida.

Fomos até Salta, para dormir. No dia seguinte, Posadas, na Argentina (e umas comprinhas rápidas em Encarnación, no Paraguai). Depois...casa.

E assim chega ao fim mais um roteiro. Como em todos os outros, os trajetos planejados com todo cuidado e carinho fazem com que o caminho seja sempre muito bem aproveitado. A bagagem cultural é sempre muito maior que as malas, na volta.

Conselho: Viaje! Não tem dinheiro no mundo que pague o aprendizado...

Valle de la Muerte, no Chile, com o Licancabur ao fundo.

Valle de la Muerte, no Chile, com o Licancabur ao fundo.

San Pedro de Atacama

San Pedro de Atacama

Posto de combustível em San Pedro de Atacama

Posto de combustível em San Pedro de Atacama

Licancabur

Licancabur

Blocos de gelo espalhados pelo deserto

Blocos de gelo espalhados pelo deserto

Os blocos ficavam soltos, próximos a estrada.

Os blocos ficavam soltos, próximos a estrada.

E a altitude inflando os pacotes...

E a altitude inflando os pacotes...

Lagunas altiplanicas.

Lagunas altiplanicas.

Descida da montanha na Cuesta de Lipán...

Descida da montanha na Cuesta de Lipán...

Cuesta de Lipán, abaixo das nuvens.

Cuesta de Lipán, abaixo das nuvens.

Restaurante El Charrúa, em Salta.

Restaurante El Charrúa, em Salta.

Fim!

Fim!

13 - Iquique e Ruta 1

12 de setembro de 2016

Seguindo nosso trajeto pelo norte do Chile, falaremos de Iquique e da bela Ruta 1, ao sul. Saímos de Arica ao entardecer e pegamos os 310 km em direção a Iquique, ainda no meio do Atacama. O trajeto é de enormes retas na Ruta 5...
Veja mais...

12 - Voltando ao Chile - Arica e Parinacota

12 de setembro de 2016

O trecho de hoje é a saída do Peru, cruzando a fronteira para o Chile entre Tacna-PER e Arica-CHI. A região é o início do Deserto de Atacama, e já foi palco da Guerra do Pacífico, entre 1879 e 1883. Na época, o que hoje é o norte do Chile...
Veja mais...

11 - Arequipa

12 de setembro de 2016

Arequipa foi uma agradável surpresa na viagem. Chamada de "cidade branca", pelas peculiares construções branquinhas serem feitas com uma pedra chamada Sillar, retirada do Vulcão Chachani, ou, uma segunda teoria que diz que é assim...
Veja mais...

10 - Cañon del Colca

12 de setembro de 2016

Depois das nossas andanças por Cusco, Machu Picchu e arredores, começamos o caminho "de volta", recheado de pontos de parada sensacionais. De Cusco, pegamos os 600km de estrada em direção a Arequipa (sobre a qual falaremos no...
Veja mais...

9 - Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas

12 de setembro de 2016

Machu Picchu - A Cidade Perdida dos Incas Da base, Cusco, para finalmente chegar ao nosso destino mais longínquo nessa viagem: a montanha sagrada Machu Picchu. Compramos as passagens de trem com dois dias de antecedência (e...
Veja mais...

8 - Cusco - A capital dos Incas

12 de setembro de 2016

Cusco, a capital dos Incas Saímos de Puno à tarde, após o almoço. De lá até Cusco, o caminho é longo: São 340km, feitos em 6 horas e meia de viagem, boa parte feita por estradas em obras. A primeira metade do caminho é feita...
Veja mais...

7 - Puno e as Ilhas Uros

12 de setembro de 2016

Puno e as Ilhas Flutuantes dos Uros, no Lago Titicaca Depois de cruzar a fronteira e percorrer mais 150km costeando o Lago Titicaca, chegamos a Puno, considerada a capital folclórica do Peru. A cidade é agradabilíssima e as...
Veja mais...

6 - Ruínas de Tiwanaku

12 de setembro de 2016

Ruínas de Tiwanaku - De La Paz ao Peru Depois de uma passagem conturbada por La Paz, com o centro obstruído por protestos, trânsito caótico, lesão no tornozelo e tudo o mais, optamos por abreviar nossa estadia. Das 3 noites...
Veja mais...

5 - La Paz, a capital da Bolívia

12 de setembro de 2016

La Paz - Capital mais confusa da América do Sul Ainda extasiados e com a imagem do Salar na cabeça, seguimos viagem. O próximo destino seria Nuestra Señora de La Paz ou simplesmente La Paz, capital da Bolívia, Saímos do Salar...
Veja mais...

4 - Salar de Uyuni

12 de setembro de 2016

Uyuni - A Imensidão de Sal De Potosí, partimos para o Salar de Uyuni, um dos pontos altos da viagem. São cerca de 200 km, que na época estavam em obras de pavimentação (em 2012 a estrada foi entregue). No caminho, casas de barro,...
Veja mais...

3 - Potosí - Bolívia

12 de setembro de 2016

Potosí: a cidade que te deixa sem fôlego, literalmente! Como dissemos no último post, nos obrigamos a sair de Tupiza à noite, para evitar um bloqueio da estrada na manhã seguinte. Assim, saímos de lá as 21:00h em direção a Potosí,...
Veja mais...

2 - De Salta-ARG a Tupiza-BOL

12 de setembro de 2016

Como falamos no post anterior, nesse trecho é que realmente a viagem começou. Acordamos cedinho e partimos rumo ao norte. Objetivo do dia: Chegar a Tupiza, primeira cidade com alguma estrutura no trajeto boliviano. No...
Veja mais...

1 - Do RS até Salta-ARG

12 de setembro de 2016

Começamos aqui o relato de mais uma viagem pela América do Sul. Essa foi feita em 2011 e passamos por Argentina, Bolívia, Peru e Chile. Rodamos 9.800 km em 20 dias. Tivemos como parceiras nessa jornada, Lais e Natália (irmã e prima da...
Veja mais...

COPYRIGHT 2019 © Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Orange Tecnologia para Internet