Ruínas de Tiwanaku - De La Paz ao Peru

Depois de uma passagem conturbada por La Paz, com o centro obstruído por protestos, trânsito caótico, lesão no tornozelo e tudo o mais, optamos por abreviar nossa estadia. Das 3 noites programadas, ficamos só 2 e partimos para o Peru.

São duas opções de caminhos até Puno, nosso primeiro destino em solo peruano: Uma pelo norte, cruzando o Estreito de Tiquina (e o Titicaca de balsa), e a nossa escolhida, pelo sul, passando pelas ruínas da civilização conhecida mais antiga da América do Sul, em Tiwanaku.

Tiwanaku é o mais importante sítio arqueológico da Bolívia, e está situado a sudoeste do Lago Titicaca, a 72 km de La Paz e a 3845 metros acima do nível do mar.

Portal de entrada do Sítio Arqueológico

Portal de entrada do Sítio Arqueológico

Miniatura do plano geral de Tiwanaku

Miniatura do plano geral de Tiwanaku

No ano de 2000 a UNESCO declarou as ruínas de Tiwanaku como Patrimônio da Humanidade. Por ser uma cultura pré-colombiana (antes da chegada dos espanhóis e portugueses) que não tinha linguagem escrita, torna-se ainda mais misteriosa a sua interpretação.

Monólito Bennett

Monólito Bennett

O que se sabe é que teve sua origem por volta de 400 a.c (embora outra linha de estudos diga que tenha se formado a partir de 1500 a.c) e que era, sobretudo, sede de um império agrícola, as suas construções de larga escala eram destinadas a gerir os recursos hídricos, associados a secas prolongadas ou às chuvas torrenciais e sazonais do clima rude do planalto boliviano.

A pirâmide de Akapana, a principal construção, está rodeada de vários diques e canais para drenagem das águas da chuva.

Templo Semi-subterrâneo

Templo Semi-subterrâneo

Porta do Sol

Porta do Sol

Tiwanaku é habitado por parte restante de descendentes dos povos antigos que habitavam o local. Hoje a maior parte da pequena população existente é de índios Aymara.

Na língua Aymara, Tiwanaku também é chamado de "Taypiqal" que significa "a pedra no meio", isto devido a suposta crença de que essa cidade estaria no centro do mundo.

Monólito Ponce

Monólito Ponce

Monólito Fraile

Monólito Fraile

Hoje o sítio encontra-se em mau estado de conservação. Por ter sofrido saque de escavadores em busca de preciosidade ou tendo os monumentos destruídos e transformados em britas para a construção de ferrovias. Inacreditável, mas é a história desse lugar!

Esse sítio arqueológico é cercado de curiosidades e mistérios.

Saindo de Tiwanaku nos dirigimos para Desaguadero, a fronteira onde cruzaríamos para o Peru. Chegando lá ficamos abismados com o que encontramos. Foi a coisa mais suja e desorganizada que vimos na viagem inteira. Tinha gente, bicho, criança, sujeira... Foi preciso força na peruca para sair do meio daquela muvuca.

Uma hora e meia depois dos trâmites burocráticos confusos de migração e aduana em um livrão antigo, partimos para Puno.

Esse vídeo abaixo é da filmadora que acompanhou toda a viagem, no painel do carro. Sinta o que é cruzar Desaguadero, no vídeo abaixo:

Cruzando Desaguadero

Cruzando Desaguadero

Cholas por todos os lados

Cholas por todos os lados

O restante do caminho vai costeando a margem sul do Titicaca, avistando lá longe a Cordillera Real e seus picos nevados.

Caminho a partir de Desaguadero

Caminho a partir de Desaguadero

O Peru é um país (um pouco) mais estruturado que a Bolívia, então, tudo ficou mais tranquilo a partir daquela fronteira. Mais 150 km pela beira do lago, de Desaguadero e chegamos a Puno, nossa última parada antes de Cusco.

Lago Titicaca

Lago Titicaca

Povoado a beira do Titicaca

Povoado a beira do Titicaca

Povoado no caminho a Puno

Povoado no caminho a Puno

No próximo post: Puno e as Ilhas flutuantes dos Uros, no Lago Titicaca.

14 - Paso de Jama e o retorno pra casa

12 de setembro de 2016

Pra encerrar nosso trajeto, após uma noite em Calama, optamos por seguir pra casa em 3 dias de estrada, sem muitos passeios paralelos no caminho. Essa decisão foi tomada porque a grana já estava curta, e praticamente todo o trajeto de...
Veja mais...

13 - Iquique e Ruta 1

12 de setembro de 2016

Seguindo nosso trajeto pelo norte do Chile, falaremos de Iquique e da bela Ruta 1, ao sul. Saímos de Arica ao entardecer e pegamos os 310 km em direção a Iquique, ainda no meio do Atacama. O trajeto é de enormes retas na Ruta 5...
Veja mais...

12 - Voltando ao Chile - Arica e Parinacota

12 de setembro de 2016

O trecho de hoje é a saída do Peru, cruzando a fronteira para o Chile entre Tacna-PER e Arica-CHI. A região é o início do Deserto de Atacama, e já foi palco da Guerra do Pacífico, entre 1879 e 1883. Na época, o que hoje é o norte do Chile...
Veja mais...

11 - Arequipa

12 de setembro de 2016

Arequipa foi uma agradável surpresa na viagem. Chamada de "cidade branca", pelas peculiares construções branquinhas serem feitas com uma pedra chamada Sillar, retirada do Vulcão Chachani, ou, uma segunda teoria que diz que é assim...
Veja mais...

10 - Cañon del Colca

12 de setembro de 2016

Depois das nossas andanças por Cusco, Machu Picchu e arredores, começamos o caminho "de volta", recheado de pontos de parada sensacionais. De Cusco, pegamos os 600km de estrada em direção a Arequipa (sobre a qual falaremos no...
Veja mais...

9 - Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas

12 de setembro de 2016

Machu Picchu - A Cidade Perdida dos Incas Da base, Cusco, para finalmente chegar ao nosso destino mais longínquo nessa viagem: a montanha sagrada Machu Picchu. Compramos as passagens de trem com dois dias de antecedência (e...
Veja mais...

8 - Cusco - A capital dos Incas

12 de setembro de 2016

Cusco, a capital dos Incas Saímos de Puno à tarde, após o almoço. De lá até Cusco, o caminho é longo: São 340km, feitos em 6 horas e meia de viagem, boa parte feita por estradas em obras. A primeira metade do caminho é feita...
Veja mais...

7 - Puno e as Ilhas Uros

12 de setembro de 2016

Puno e as Ilhas Flutuantes dos Uros, no Lago Titicaca Depois de cruzar a fronteira e percorrer mais 150km costeando o Lago Titicaca, chegamos a Puno, considerada a capital folclórica do Peru. A cidade é agradabilíssima e as...
Veja mais...

5 - La Paz, a capital da Bolívia

12 de setembro de 2016

La Paz - Capital mais confusa da América do Sul Ainda extasiados e com a imagem do Salar na cabeça, seguimos viagem. O próximo destino seria Nuestra Señora de La Paz ou simplesmente La Paz, capital da Bolívia, Saímos do Salar...
Veja mais...

4 - Salar de Uyuni

12 de setembro de 2016

Uyuni - A Imensidão de Sal De Potosí, partimos para o Salar de Uyuni, um dos pontos altos da viagem. São cerca de 200 km, que na época estavam em obras de pavimentação (em 2012 a estrada foi entregue). No caminho, casas de barro,...
Veja mais...

3 - Potosí - Bolívia

12 de setembro de 2016

Potosí: a cidade que te deixa sem fôlego, literalmente! Como dissemos no último post, nos obrigamos a sair de Tupiza à noite, para evitar um bloqueio da estrada na manhã seguinte. Assim, saímos de lá as 21:00h em direção a Potosí,...
Veja mais...

2 - De Salta-ARG a Tupiza-BOL

12 de setembro de 2016

Como falamos no post anterior, nesse trecho é que realmente a viagem começou. Acordamos cedinho e partimos rumo ao norte. Objetivo do dia: Chegar a Tupiza, primeira cidade com alguma estrutura no trajeto boliviano. No...
Veja mais...

1 - Do RS até Salta-ARG

12 de setembro de 2016

Começamos aqui o relato de mais uma viagem pela América do Sul. Essa foi feita em 2011 e passamos por Argentina, Bolívia, Peru e Chile. Rodamos 9.800 km em 20 dias. Tivemos como parceiras nessa jornada, Lais e Natália (irmã e prima da...
Veja mais...

COPYRIGHT 2021 © Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Orange Tecnologia para Internet