Puno e as Ilhas Flutuantes dos Uros, no Lago Titicaca

Depois de cruzar a fronteira e percorrer mais 150km costeando o Lago Titicaca, chegamos a Puno, considerada a capital folclórica do Peru.

A cidade é agradabilíssima e as pessoas de uma simpatia sem igual. Tem mais de 200 mil habitantes e está a 3800 m.s.n.m.. A cidade é toda voltada para o turismo, e por isso conta com boa rede hoteleira, restaurantes e amplo comércio.

Um dos meios de transporte muito comum em Puno e que faz as vezes de táxi, é o Tuk Tuk. São vistos por todo lado e são muito eficientes.

Puno

Puno

Chegamos à cidade ao anoitecer, e não tínhamos hotel reservado. Logo, porém, encontramos o Hotel Collon Inn, que custou aproximadamente US$ 50,00 cada quarto. Muito agradável e com um restaurante ótimo.

Como a fome já estava batendo, fomos direto para o restaurante do hotel. E foi lá que provamos o nosso primeiro ceviche. Esse é um prato tipicamente peruano, preparado com peixe e especiarias e cozido no limão. Uma delícia. Provado e aprovado!

Para acompanhar, o refrigerante mais famoso da região, a deliciosa (#sqn) Inca Kola.

O gosto é uma desgraça: lembra muito o de xarope pra gripe... hahah....mas tem que provar né?!

As saladas geralmente levam abacate e , lá atrás na foto, o tradicional Ceviche

As saladas geralmente levam abacate e , lá atrás na foto, o tradicional Ceviche

A tal da Inca Kola. Pela cara dá pra imaginar o gosto.

A tal da Inca Kola. Pela cara dá pra imaginar o gosto.

Bem alimentados fomos passear pela cidade, movimentadíssima à noite. O comércio local fica aberto, com muitas lojas de artesanato, restaurantes etc... e os vendedores de rua são simpáticos demais. Rimos muito com essa figura aí abaixo:

Mais uma vez encontramos o grupo de motoqueiros argentinos. A essa altura já nos reconhecíamos e cumprimentávamos, tantas vezes já havíamos nos encontrado no decorrer da viagem. Que coisa engraçada escolherem exatamente o mesmo roteiro e quantidade de dias em cada lugar. Nosso caminho não era assim tão comum para tanta coincidência!

A grande atração da cidade é o Lago Titicaca, com suas ilhas flutuantes. São chamadas dessa forma por serem construídas com a Totora (junco abundante em parte do lago). Essa vegetação é leve e faz com que as Ilhas construídas por eles realmente flutuem e precisem ser ancoradas com cordas para que não se movam.

Ilha flutuante e a recepção na chegada dos barcos

Ilha flutuante e a recepção na chegada dos barcos

As graciosas crianças...

As graciosas crianças...

Sobre as ilhas, os Uros constroem suas casinhas e barcos com a Totora. As casas precisam ser reconstruídas a cada 6 meses pois vão se deteriorando com o tempo.

As ilhas são mantidas para promover o turismo, e a maior parte do povo já habita terra firme. Na primeira vendem seus artesanatos e recepcionam os turistas de forma muito amável, com explicações sobre seus costumes, estilo de vida e demonstração dos artesanatos. Os mais comuns são as miniaturas das embarcações e bordados riquíssimos em história e cores.

Explicações do povo local sobre as ilhas, costumes, etc..

Explicações do povo local sobre as ilhas, costumes, etc..

Artesanato

Artesanato

Esse tipo de embarcação é considerada o "carro popular" deles...heheh, os mais sofisticados são duplos e maiores como o da foto abaixo

Esse tipo de embarcação é considerada o "carro popular" deles...heheh, os mais sofisticados são duplos e maiores como o da foto abaixo

Segundo eles, se houver briga entre vizinhos, podem simplesmente dividir a ilha usando um serrote e cada um flutua para onde quiser...heheh

Segundo eles, se houver briga entre vizinhos, podem simplesmente dividir a ilha usando um serrote e cada um flutua para onde quiser...heheh

Bordados que contam um pouco das sua história

Bordados que contam um pouco das sua história

São umas graças...

São umas graças...

Já a segunda ilha que visitamos era mais voltada a gastronomia...com restaurante servindo pratos típicos como o Ceviche e a Truta acompanhada com milhos gigantes.

Embarcação que nos levava até a segunda ilha

Embarcação que nos levava até a segunda ilha

Lago com os peixes para preparar o ceviche.

Lago com os peixes para preparar o ceviche.

Restaurante na segunda ilha. Mais um ceviche no almoço

Restaurante na segunda ilha. Mais um ceviche no almoço

Existem várias dessas ilhas espalhadas pelo lago, e são impressionantes!!

Encontramos pessoas de todo lugar nesse passeio, brasileiros, argentinos e até um ex-soldado do exército de Israel. Esse nos contou que estava "aposentado" do exército (com 20 e poucos anos) e iria passar 1 ano viajando por toda América do Sul. O plano era chegar ao Brasil no final do ano para assistir o Réveillon em Copacabana. Muitas histórias e experiências. Coisas que só viajando você vivencia...

O passeio todo dura em torno de 5 horas e é imperdível para quem vai à cidade!!!

Mais um pequeno passeio pela cidade...e #partiu Cusco, destino e assunto do nosso próximo post.

14 - Paso de Jama e o retorno pra casa

12 de setembro de 2016

Pra encerrar nosso trajeto, após uma noite em Calama, optamos por seguir pra casa em 3 dias de estrada, sem muitos passeios paralelos no caminho. Essa decisão foi tomada porque a grana já estava curta, e praticamente todo o trajeto de...
Veja mais...

13 - Iquique e Ruta 1

12 de setembro de 2016

Seguindo nosso trajeto pelo norte do Chile, falaremos de Iquique e da bela Ruta 1, ao sul. Saímos de Arica ao entardecer e pegamos os 310 km em direção a Iquique, ainda no meio do Atacama. O trajeto é de enormes retas na Ruta 5...
Veja mais...

12 - Voltando ao Chile - Arica e Parinacota

12 de setembro de 2016

O trecho de hoje é a saída do Peru, cruzando a fronteira para o Chile entre Tacna-PER e Arica-CHI. A região é o início do Deserto de Atacama, e já foi palco da Guerra do Pacífico, entre 1879 e 1883. Na época, o que hoje é o norte do Chile...
Veja mais...

11 - Arequipa

12 de setembro de 2016

Arequipa foi uma agradável surpresa na viagem. Chamada de "cidade branca", pelas peculiares construções branquinhas serem feitas com uma pedra chamada Sillar, retirada do Vulcão Chachani, ou, uma segunda teoria que diz que é assim...
Veja mais...

10 - Cañon del Colca

12 de setembro de 2016

Depois das nossas andanças por Cusco, Machu Picchu e arredores, começamos o caminho "de volta", recheado de pontos de parada sensacionais. De Cusco, pegamos os 600km de estrada em direção a Arequipa (sobre a qual falaremos no...
Veja mais...

9 - Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas

12 de setembro de 2016

Machu Picchu - A Cidade Perdida dos Incas Da base, Cusco, para finalmente chegar ao nosso destino mais longínquo nessa viagem: a montanha sagrada Machu Picchu. Compramos as passagens de trem com dois dias de antecedência (e...
Veja mais...

8 - Cusco - A capital dos Incas

12 de setembro de 2016

Cusco, a capital dos Incas Saímos de Puno à tarde, após o almoço. De lá até Cusco, o caminho é longo: São 340km, feitos em 6 horas e meia de viagem, boa parte feita por estradas em obras. A primeira metade do caminho é feita...
Veja mais...

6 - Ruínas de Tiwanaku

12 de setembro de 2016

Ruínas de Tiwanaku - De La Paz ao Peru Depois de uma passagem conturbada por La Paz, com o centro obstruído por protestos, trânsito caótico, lesão no tornozelo e tudo o mais, optamos por abreviar nossa estadia. Das 3 noites...
Veja mais...

5 - La Paz, a capital da Bolívia

12 de setembro de 2016

La Paz - Capital mais confusa da América do Sul Ainda extasiados e com a imagem do Salar na cabeça, seguimos viagem. O próximo destino seria Nuestra Señora de La Paz ou simplesmente La Paz, capital da Bolívia, Saímos do Salar...
Veja mais...

4 - Salar de Uyuni

12 de setembro de 2016

Uyuni - A Imensidão de Sal De Potosí, partimos para o Salar de Uyuni, um dos pontos altos da viagem. São cerca de 200 km, que na época estavam em obras de pavimentação (em 2012 a estrada foi entregue). No caminho, casas de barro,...
Veja mais...

3 - Potosí - Bolívia

12 de setembro de 2016

Potosí: a cidade que te deixa sem fôlego, literalmente! Como dissemos no último post, nos obrigamos a sair de Tupiza à noite, para evitar um bloqueio da estrada na manhã seguinte. Assim, saímos de lá as 21:00h em direção a Potosí,...
Veja mais...

2 - De Salta-ARG a Tupiza-BOL

12 de setembro de 2016

Como falamos no post anterior, nesse trecho é que realmente a viagem começou. Acordamos cedinho e partimos rumo ao norte. Objetivo do dia: Chegar a Tupiza, primeira cidade com alguma estrutura no trajeto boliviano. No...
Veja mais...

1 - Do RS até Salta-ARG

12 de setembro de 2016

Começamos aqui o relato de mais uma viagem pela América do Sul. Essa foi feita em 2011 e passamos por Argentina, Bolívia, Peru e Chile. Rodamos 9.800 km em 20 dias. Tivemos como parceiras nessa jornada, Lais e Natália (irmã e prima da...
Veja mais...

COPYRIGHT 2021 © Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Orange Tecnologia para Internet