O Japão tem como principal característica a numerosa população comparada a extensão territorial.

Dessa forma você vai perceber que o país tem muitas regras e a maioria delas são sobre civilidade, viver em sociedade e educação. E consequentemente todos as seguem a risca, sem excessão.

Então, seja educado e siga-as também ao visitar esse país. :)

A língua não chega a ser um problema, já que nos hotéis e nas estações sempre tem alguém que fala inglês. E como o povo é muito receptivo e educado, mesmo sem entender uma palavra, você consegue se comunicar e eles fazem o possível para entender e serem entendidos.

Em muitos locais você vai precisar tirar o calçado para entrar em templos, alguns quartos de hotéis e até em restaurantes quando forem mais tradicionais.

Os meios de transportes públicos funcionam muito bem por lá e opções não faltam. Algumas coisas que podem te ajudar ao usá-los:

-Dentro dos metrôs ou trens você não vai ouvir pessoas falando alto, celular tocando ou pessoas atendendo ligações telefônicas. Então mantenha seu telefone no silencioso e fale baixo, por favor.

-Ao subir ou descer escadas use sempre o lado esquerdo, ou siga a sinalização. Você verá que ao subir uma escada rolante, por exemplo, vai se formar uma fila à esquerda (incluindo sua mala, quando estiver com ela), deixando o lado direito liberado para as pessoas que estão com mais pressa possam passar de forma mais fácil.

-Você vai usar muito, mas muito mesmo metrô e trens nesse país, pois é a forma mais fácil e barata de locomoção.

-Antes de sair de viagem estávamos com dúvida se valeria realmente a pena comprar o Japan Rail Pass, que é um passe ilimitado de trens da empresa JR. E podemos dizer com toda certeza que foi a melhor coisa que fizemos. É claro que abusamos do passe, andamos pelo país inteiro inclusive de trem bala. Se não tivéssemos o passe ou não teríamos conhecido tudo o que conhecemos ou teríamos nos quebrado pois comprar os trechos separadamente teria saído muito caro (Faremos post separadamente explicando o passe com detalhes).

-Nem pense em chegar 1 minuto atrasado nas estações, eles são extremamente pontuais.

-Estude as linhas de metrô principalmente de Tóquio, vai ser útil, apesar de aprender realmente na prática. Tenha sempre junto um mapa ou aplicativo com as linhas pois são muitas e você vai se perder pelo menos uma vez, com toda certeza.kkk

-Para as estações de metrô onde não tiver linha da JR, compre um cartão recarregável. Nós compramos o PASMO. Caso contrário, terá que comprar tickets a cada vez que chegar na estação. (Post explicando)

-Os trechos de metrô são cobrados por distância, e os valores variam conforme o trecho percorrido, então lembre que é preciso passar o cartão tanto na entrada quanto na saída. Caso contrário o cartão não será aceito no próximo uso.

-Em todas as estações as informações estão escritas em japonês e na sequencia em inglês. Só não encontramos as informações traduzidas nas estações de cidades bem do interior ou menores, mas é que fomos parar em cada lugar kkk. Contamos detalhes nos próximos posts.

-Nas estações sempre tem locais para armazenamento de bagagem, o valor pago é de acordo com o tamanho do compartimento. Custa em torno de Y600 (+/- R$20) para deixar uma mala de tamanho médio. É só inserir moedas ao lado do compartimento e você vai conseguir abrir a portinha para guardar seus pertences pelo tempo que quiser. Tome cuidado pois a chave só gira uma vez, então coloque seus pertences e gire a chave. Caso faça bobagem (como fizemos, girando a chave pra todo lado pra tentar descobrir como funcionava?kkk) é só chamar um guardinha que ele resolverá pra você.

-Usamos muito (mas muito mesmo) o Google Maps, na opção de traçar rotas. Ali vai ter o a opção de trem ou metro que você precisa pegar, o tempo de viagem, horário preciso, onde precisa trocar de estação, tempo de caminhada etc...Foi muito útil, sem ele não teríamos saído do lugar kkkk.

-Como andamos muito de uma cidade para outra e tudo de trem, foi imprescindível carregar pouca bagagem. Aconselhamos selecionar direitinho o que levar na mala para que não precise carregar muito peso, caso contrário você vai sofrer carregando mala pra cima e pra baixo, subindo e descendo escadas.

Aproveitando, falo da importância de ter internet o tempo todo, principalmente para esse tipo de deslocamento.

Nós alugamos pela internet antes de sair de viagem, através da Global Advanced Communications, um pocket wi-fi. Pegamos no aeroporto num post office e devolvemos no final da viagem também no aeroporto. Foi muito, muito útil. Pegamos também uma bateria extra, mas se você tiver um bom carregador externo não tem necessidade da bateria extra.

Brasileiros não podem dirigir no Japão. Consegue dirigir somente quem tem habilitação emitida pelos países que possuem acordo com o Japão, que não é o caso do Brasil.

Reserve sempre hotéis próximo à estacões de metro. Você vai lembrar de nós e nos agradecer, se seguir essa regrinha. Apesar de ter mil opções de linhas, tudo é muito longe. Brincamos que nossas malas são as que tem mais km rodado nesse mundo porque elas andaram muito pelas ruas do Japão, falamos com propriedade de quem sofreu quando não encontrou nenhuma estação próxima.

Tudo no Japão é feito pensando em acessibilidade, todas as calçadas tem sinalização, rampas de acesso, sinal sonoro em todos os semáforos, braile em tudo (bebidas, numeração nos assentos de trens). Isso inclui até o monte Koya que seria um lugar de difícil acesso.

Como vemos na TV, os japoneses usam mesmo aquelas máscaras cirúrgicas e as usam quando estão resfriados ou gripados para que o vírus não contagie outras pessoas.

Você vai encontrar máquinas de bebidas em todo lugar, por tudo mesmo. Nelas quase não tem refrigerante (geralmente Coca-Cola e só), mas tem muito chá verde e cafés, quentes e frios (os quentes tem um símbolo vermelho) e alguns sucos. Um dia desses compramos uma latinha que parecia suco de uva, ao abrir descobrimos que era gelatina de uva, sim gelatina, coisas que só o Japão proporciona a você kkk.

Quanto a limpeza e segurança, sem palavras para explicar. Saímos durante o dia, noite, madrugada com câmeras a tiracolo, com malas pelas ruas e ninguém nem olhou de forma estranha em nossa direção, então vá tranquilo.

Esqueça tudo o que você já ouviu falar sobre culinária japonesa. Os restaurantes de rua servem muita massa. O prato mais popular do Japão é o Rámen, uma espécie de sopa de massa com base de porco ou frango. A massa também é servida quente como comemos aqui ou fria com molhos leves, geralmente shoyo. Claro que tem sushi, mas menos do que imaginávamos e carne de gado se resume ao wagyu, que é aquela carne marmoreada caríssima. Não vamos esquecer que eles comem, e é comum encontrar, carne de cavalo e eles a comem como sashimi, sim, CRUA.

Na culinária japonesa existe muito pouco doce, e os que se encontra por lá geralmente são feitos com um recheio composto por uma pasta a base de feijão adocicado, isso mesmo, feijão doce. Os que encontramos pelo país eram em padarias de origem francesa ou alemã que se estabeleceram e são bastante populares.

A ida ao banheiro no Japão é um evento! Os banheiros, com os assentos tecnológicos (geralmente da marca Toto) tem tampa aquecida, som de água corrente com a opção de aumentar ou diminuir o volume, jatinhos de água caso queira refrescar as partes íntimas e até a descarga você precisa procurar porque uns são por sensor, outros no próprio vaso e a maioria fica na parede ao lado do vaso. Em contraponto a essa modernidade, alguns banheiros públicos são em formato tradicional onde você precisa ficar de cócoras pois a privada é um buraco no chão. A maioria dos banheiros tem lugar para colocar as crianças acomodadas enquanto as mães fazem suas necessidades. E que todos são muito limpos e tem sempre papel higiênico a disposição, nem precisa dizer, né?!

Os mercados (ou lojas de conveniência) são de fácil acesso, tem em todo lugar e muitos ficam abertos 24h. Tem uma rede chamada Family Market que você encontra em todo lugar. Nos mercados se encontra muita comida pronta e barata

Quando você não souber onde comer, vá a uma estação de metrô. Elas são um mundo a parte, são como shoppings subterrâneos. Tem muita opção e geralmente os bons restaurantes estão por lá. E não é só comida não, tem lojas, padarias e muito mais.

Ahh, use o Google Tradutor e use para traduzir do japonês para o inglês com a câmera, que a tradução é simultânea, você vai passando a câmera e vai traduzindo automaticamente. Você vai usar muito, vai por mim, até pra traduzir o controle da TV! kkkk

Espero que essas dicas ajudem a facilitar a sua ida ao Japão e que possa aproveitar tudo da melhor maneira possível.

Não esqueça que em cada post (anteriores ou os próximos) sempre terão dicas fresquinhas pra vocês.

Nesse país incrível, com uma cultura totalmente diferente, vai ser um aprendizado por segundo!

->>> Não esqueça de curtir e comentar os posts, isso ajuda o blog a ganhar vida e nos orienta sobre as suas preferências. Isso também nos estimula a cada vez trazer mais conteúdo... sem contar que nos deixa muito felizes!

________________________________________________________________________________________________________________________________

Reserve através desse link a sua hospedagem, pelo Booking.com e receba um desconto de R$ 50,00 em sua estadia.

Siga-nos também no Facebook e Instagram

________________________________________________________________________________________________________________________________

12 - Kanazawa

10 de junho de 2019

Depois de conhecer a região de Quioto e arredores, nosso plano inicial era seguir para a região de Hiroshima, no sul da ilha de Honshu. Tínhamos programado 3 dias para a ida e volta até...
Veja mais...

11 - Himeji | Osaka

15 de abril de 2019

Falo com toda certeza desse mundo que não queríamos ir embora de Kyoto. Que experiência, meu povo! Mas precisávamos seguir para o próximo destino, Himeji, pra conhecer um dos...
Veja mais...

10 - Kyoto IV

05 de março de 2019

Sétimo dia no Japão, quarto em Kyoto. Como já comentamos em outros posts, usamos muito os ônibus urbanos em Kyoto por ser a forma mais prática de transporte. O Importante é...
Veja mais...

9 - Kyoto III

02 de dezembro de 2018

Sexto dia no Japão, terceiro dia em Kyoto. Iniciamos o dia muito bem, errando a parada do trem !! kkk A intenção era chegar na Floresta de Bambu de Arashiyama, então saímos da...
Veja mais...

8 - Kyoto II

02 de outubro de 2018

Quinto dia no Japão, segundo em Kyoto. Nosso roteiro do dia foi um tanto conturbado pois algumas coisas que tínhamos programado...
Veja mais...

7 - Kyoto I

04 de agosto de 2018

No nosso quarto dia no Japão, seguimos para Kyoto, antiga capital Imperial do país, substituída por Tóquio em 1868. Além disso, Kyoto é a cidade das Gueixas e...
Veja mais...

6 - Tóquio III

30 de julho de 2018

Tóquio III No nosso terceiro dia em Tóquio optamos por conhecer a redondezas do Palácio Imperial. Para isso pegamos um metrô na estação ao lado do nosso Hotel e...
Veja mais...

5 - Tóquio II

22 de julho de 2018

Iniciamos nosso segundo dia em Tóquio tentado entender o funcionamento do metrô. Confesso que deu um certo pânico ao olhar o mapa das linhas e a primeira impressão é de que você nunca vai se achar naquele...
Veja mais...

4 - Tóquio

02 de julho de 2018

Tóquio foi a nossa porta de entrada para o Japão. Esse país com tantos contrapontos, que une o antigo com o novo, o conservador com o moderno, os templos milenares aos prédios tecnológicos atuais. E...
Veja mais...

2 - Roteiro de 20 dias pelo Japão

27 de maio de 2018

. Planejar uma viagem para o Japão não é nada fácil. A diversidade geográfica, cultural e as peculiaridades desse país tornam a pesquisa e...
Veja mais...

1 - Japão - Planejamento de Viagem

13 de maio de 2018

PLANEJAMENTO DE VIAGEM Quem nos acompanha no Facebook/Instagram já sabe, e quem tem o primeiro contato com a gente pelo site, fica sabendo agora: Acabamos de voltar do Japão. Estivemos na Terra do Sol Nascente...
Veja mais...

COPYRIGHT 2019 © Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Orange Tecnologia para Internet